O outro lado do BR-Linux

Friday, December 30, 2005

O protocolo do MySQL é proprietário?

O protocolo do MySQL é proprietário. E não sou eu que estou dizendo. É o site do MySQL mesmo.

O modelo de negócios da MySQL AB, empresa dona do MySQL, é manter sob a GNU GPL tanto o servidor como as bibliotecas utilizadas para que outros programas utilizam para se conectar ao servidor. Dessa forma, quem fizer um programa que se conecte a um servidor MySQL terá que utilizar a GPL no seu programa também, já que a biblioteca de conexão é GPL, e não LGPL. A MySQL AB também vende uma licença comercial, para que os desenvolvedores possam criar programas não-GPL com acesso ao banco de dados. Essa licença é vendida, e é cara.

Ou seja, embora o principal produto da MySQL AB seja o servidor de banco de dados, o que ela efetivamente vende é a biblioteca que se conecta a esse servidor. O que essa biblioteca faz, de forma bem resumida, é fazer a interface entre o programa e o servidor, levando querys e resultados de um lado para o outro. Tudo isso de acordo com o protocolo definido pelo servidor, e explicado nesse manual.

Tecnicamente falando, não existe nenhum impedimento para que um desenvolvedor estude o protocolo que o servidor MySQL utiliza e crie uma biblioteca alternativa, talvez sob a LGPL, que implemente as mesmas funcionalidades da biblioteca GPL da MySQL AB. O mesmo procedimento é feito pelos desenvolvedores de programas de mensagem instantânesas, por exemplo, que fizeram uma implementação própria do protocolo utilizado pelo MSN Messenger. O mesmo procedimento também é feito, de uma forma ligeiramente diferente, pelos desenvolvedores de programas de escritório, como o OpenOffice.org, que estudaram o formato dos documentos do MS Office, e fizeram sua própria implementação. Na prática, eles também estão re-implementando um "protocolo".

Muitas vezes, já vimos empresas lutando - legalmente, as vezes - contra essas práticas. Elas tentam impedir que outros desenvolvedores implementem os seus protocolos. Em geral, essa tentativa não é bem-vista pela comunidade do código-aberto, que o direito das empresas se limita à sua implementação, e não às idéias, algoritmos, protocolos ou formatos.

Eis que hoje eu, por acaso, me deparei com esse manual técnico da MySQL AB. E advinhem só... A MySQL AB alega que o protocolo - e não apenas a implementação - do MySQL pertence à MySQL AB, e que qualquer re-implementação desse protocolo deva ser liberado sob a GPL, independentemente da vontade do desenvolvedor. Isso seria o mesmo que a Microsoft tentar impor restrições a quem desenvolva novas implementações de leitura de arquivos .doc, ou então que a AOL queira determinar sob que licença deva ser lançado o GAIM, já que ele contém uma implementação própria do protocolo do AOL Instant Messenger.

A Comunidade do Software Live sempre enfatiza que o direito autoral não deve abrangir as idéias, os algoritmos e os protocolos. Mas a MySQL AB não parece concordar. Gostaria de saber o que vocês pensam disso.

7 Comentários:

  • É uma forma de restringir as liberdades oferecidas pelo software deles. Pela definição da FSF, será que não deixaria de ser software livre?

    Mas a restrição de lançar em GPL é interessante até certo ponto. Eles estão procurando restringir para quem quer usar software comercial com o banco deles sem pagar nada. Isso não acho ruim.

    By Anonymous Anonymous | 7:46 PM  

  • Anônimo,

    veja bem: não estou criticando a licença da biblioteca da MySQL AB. O que eu crito é o fato de o protocolo - e não sua implementação, a biblioteca - ser considerado GPL.

    Pelas regras que "nós" defendemos, uma empresa não poderia ser proprietária de idéias, algoritmos ou protocolos. O que deveria pertencer a empresa é a implementação.

    By Blogger Ananias O'Troll | 9:22 PM  

  • Lok-in disfarçado.

    By Blogger Paulo 242 Junqueira | 9:53 PM  

  • Obrigado por sua observação é sempre bom estar atento a esses detalhes. Nem tudo que se diz ser GNU/Linux o é. Vejo da seguinte forma, o problema existe quando nao se fornece os fontes ou as especificações de um protocolo. A MySQL AB, fornece os fontes. Outra coisa que me encuca. O que voce vai fazer com os fontes? Nessa terra, se qualquer coisa fugir de .configure;make;make install esse povo abandona, as excessões tentarão fazer com ou sem liberdade. Ademais aqui nessa terra, falar em leis é uma piada. Ainda somos o modelo de sociedade de D.Joao VI. Não vejo com maus olhos a atitude da MySQL AB, fizeram isso apenas para evitar abusos. Muito oportuno esse seu insight, g4lnx.

    By Anonymous Anonymous | 10:39 AM  

  • afirmar que não podem fazer isso é o mesmo que dizer que a própia GPL é errada por não permitir o fechamento do codigo feito nela. não pegou a ideia, uma pena.

    By Anonymous philippe | 1:16 AM  

  • Hmm... Concordo, é uma situação curiosa - mas eu a respeito assim como respeito quem faz software proprietário.

    Nota: você se diz um troll, mas ainda tem de treinar muito para chegar aos pés do Kid-X ;)

    By Anonymous Adam Brandizzi | 10:05 PM  

  • Eu concordo com a idéia da Red Hat, apesar de preferir o Slackware

    Deve existir opções licenciadas que dão direito a suporte, mas com o código fonte aberto para quem quiser compilar com suas customizações.

    Abraços,

    Rodrigo Otavio
    Toor Tecnologia e Serviços
    -------------------------

    By Blogger toor | 9:18 PM  

Post a Comment

<< Home