O outro lado do BR-Linux

Thursday, December 29, 2005

Defensor de que padrão?

Muitas vezes eu vejo usuários de Software Livre reclamando (e, como sempre, criando petições) de páginas que não seguem o padrão W3C.

Na verdade, eles não se importam com o padrão W3C em si. O que importa é, única e exclusivamente, se a página funciona no Linux, ou não.

Veja o caso do BR-Linux, por exemplo. Ele não segue o padrão W3C. Entretanto, nunca vi ninguém reclamar. Por que? Porque funciona no Linux. Ou seja, se funciona no Linux, seguir o padrão deixa de ser importante.

Esses usuários que se dizem defensores do padrão W3C na verdade estão pouco se importando com o padrão em si. O que lhes importa é, unicamente, se a página abre no browser deles. Se não fosse assim, eles reclamariam de todas as páginas que não seguem os padrões, inclusive aquelas que abrem no firefox.

E, como já falei inúmeras outras vezes: o fato de seguir os padrões não significa que a página necessariamente vai abrir perfeitamente no Linux. É perfeitamente possível criar uma página com controles ActiveX que esteja perfeitamente de acordo com o padrão W3C. Esses controles, no entanto, não funcionarão no Linux, ainda que todos os padrões estejam sendo seguidos.

Resumindo: esses pseudo-defensores do W3C na verdade são defensores dos seus próprios umbigos. Não reclamam de página fora do padrão, desde que elas funcionem no browser deles, e reclamam de página dentro dos padrões, caso elas não funcionem. (como as com ActiveX, por exemplo)

Não estou dizendo que isso - se importar apenas com o seu browser - seja necessariamente errado. Entretanto, esses usuários deveriam deixar de lado o politicamente correto discurso de defensor dos padrões - o que eles não são - e admitir o que eles verdadeiramente são.

11 Comentários:

  • Interessante, não havia passado pela minha cabeça que objetos embutidos no html como applets java, objetos activex ou objetos flash, não estão fora do padrão w3c. De resto, essa é uma discussão igual àquela do melhor programa para tal tarefa: geralmente o melhor programa é aquele que a pessoa domina.

    []s
    Emerson

    By Anonymous Emerson | 2:41 PM  

  • Na teoria é importante seguir os padrões. Mas na prática, se funcionar nos navegadores disponíveis com alguma participação significativa já minimiza muito o problema.

    Não elimina pois ainda assim dificulta o surgimento de novos navegadores, a principio. Mas teria que se analisar até que ponto isso é significativo, nesse caso específico.

    By Anonymous Anonymous | 7:50 PM  

  • Participação significativa? Então uma empresa que faz um site visualizável no Windows e no Mac está correta, já que a participação do Linux não é significativa.

    By Blogger Ananias O'Troll | 9:19 PM  

  • A participação do Linux já é significativa ;-)

    BeOS não é.

    By Anonymous Anonymous | 8:18 AM  

  • Há várias formas (absurdas, em minha opinião) de fazer um site ser validado de acordo com os padrões do W3C utilizando-se código não padronizado (proprietário), o que aliás, não tem mérito nenhum. Mas fazer um site que siga os padrões não é o mais importante. O importante é que este site seja estruturado com coerência, que siga uma certa semântica e seja acessível. Um código validado, bem feito (sem burlas para validação) e acessível (isso sim, é o mais difícil) será, como conseqüência, visto nos mais variados meios (não só browsers, mas também celulares, PDAs, leitores de tela etc). Uma outra coisa que acho importante é separarmos padrões web e software livre. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Ou quase, se considerarmos que certos códigos html proprietários foram feitos por uma empresa que desenvolveu um sistema proprietário.

    By Anonymous Anonymous | 9:29 AM  

  • Ananias, algumas coisas você faz uma boa reflexão, para outras, não.. como esta mensagem sobre W3C e navegadores.

    Opera, Firefox e, principalmente, o Konqueror, são mostrados ao usuário Linux como seguidores a risca dos padrões W3C. Se a página funciona perfeitamente em qualquer destes navegadores, qual a conclusão óbvia? Mesmo a página estando perfeita, e rodando sem problemas, ninguém vai se atentar a isto. Enquanto vemos aberrações de páginas quando carregadas nesses navegadores, todos lembram do W3C por motivos naturais.

    De qualquer forma, o problema não é o usuário, como você quis afirmar, mas a propaganda em cima dos navegadores que defendem a W3C, que iludem o usuário

    By Anonymous Spook | 10:57 AM  

  • Vamos voltar a ignorancia do passado, funcionou está bom, e varios padroes de rede incomunicaveis, cara pelo menos por um dos lados o pessoal estah certo insetivando o uso de padroes que futuramente serao compativeis (mesmo as vezes sendo um bando de criancas que nao sabem necessariamente o que eles estao fazendo ou falando), se todos segui-sem os padroes istoh seria algo que facilitaria a vida dos desenvolvedor descentes, nao estou falando daqueles caras que funcionou e o browser (ou o sistema operacional) fez uma magica para executar estah bom, estou falando das pessoa que fazem a diferenca na hora que vc estah executando o seu lindo sistema de acordo com o padrao POSIX e outros padroes internacionais, e seu codigo padronizado funciona, agora defender um padrao internacional ou o seu padrao e outra discussao.

    Nem todos tiverem a sua educacao didatica, nem todos tiveram acesso aos conhecimentos q vc teve, a vontade de aprender da mesma maneira, mas nao os reprima, encare do modo de que eles as vezes sao como criancas em um mundo novo.

    By Anonymous Anonymous | 3:49 AM  

  • Como eu faço para usar o ActiveX no Firefox/Linux ?

    E onde que tá o padrão do ActiveX no site da W3C ? Eu não achei.

    By Anonymous Anonymous | 11:22 AM  

  • Último anônimo,

    você não usa ActiveX no Linux.

    Ele está no padrão W3C, já que é utilizado dentro da tag OBJECT. Não é uma extensão do HTML.

    By Anonymous Anonymous | 12:18 PM  

  • Acredito que seguir a w3c não é apenas uma questão de ego, do tipo dizer "EU SIGO a w3c", mas uma questão de respeito ao usuário e aos webmasters, que, seguindo a w3c, podem fazer sites que se adequem mais aos diversos padrões estabelecidas.
    A microsoft sempre teve o costume de "inventar" seus padrões, de maneira que não é possível fazer um site para windows explorer, sem correr o risco de ele quebrar em outro navegador, até mesmo no opera, que é até o momento, o único navegador que tenho conhecimento de ter passado com 100% no teste do acid3.
    Quando o respeito a diversidade for respeitada, haverá apenas o direito de escolha do seu navegador predileto, independente de internet explorer, mozilla firefox, opera ou google browser

    By Anonymous blog de linux | 10:53 AM  

  • Apenas uma correção, eu disse "windows explorer" quando era "internet explorer"

    By Anonymous blog de linux | 10:54 AM  

Post a Comment

<< Home